Santa Casa da Misericórdia de Cascais


INFâNCIA

A Santa Casa da Misericórdia de Cascais defende para a sua área da Infância dos 4 meses aos 10 anos de idade, os seguintes princípios e metodologias de trabalho:

A educação de infância é encarada com base no significado que tem o desenvolvimento da criança até aos seis anos, com características e funções próprias e não como fase que prepara a etapa posterior. Os estabelecimentos de educação de infância têm funções que ultrapassam a mera substituição da família ou a antecipação da escola. Devem pois ser entendidos como estruturas originais em consequência da importância que se crê ter a intervenção precoce na vida da criança.

Os estabelecimentos de educação de infância devem começar por ser o prolongamento do meio familiar, mas apenas enquanto meio de vida em clima de intimidade, afecto e bem-estar, condição sem a qual não é possível o alargamento das experiências que se consideram fundamentais.

A valência de Creche, tendo como primeira função a substituição da mãe, na impossibilidade desta permanecer junto da criança, deve na sua acção, privilegiar a qualidade relacional que o adulto mantém com a criança, encarando-se todavia a relação de afecto em meio institucional, como manifestação de respeito pela criança como pessoa e não como decalque da relação natural mãe/filho.

O trabalho em creche desenvolve-se, por isso, a partir da individualização dos cuidados prestados através de rotinas consistentes, num ambiente que estimula a curiosidade, o prazer de interagir com os outros e com os materiais, o desejo de crescer e de ser autónomo.

As actividades proporcionadas pela valência de Pré-escolar para responder às reais necessidades das crianças, devem ser encaradas mais como factores de aprendizagem de vida, de interacção com pares e de manifestação da individualidade, do que um mero contributo para o desenvolvimento de áreas consideradas isoladamente no todo que é a criança. É com base no sucesso destas vivências que as etapas posteriores são também vividas com sucesso, porque determinantes da construção de uma imagem positiva da criança.

Assim, o trabalho com as crianças assenta na aprendizagem dos saberes essenciais ao conhecimento do mundo, nas áreas da língua materna, da matemática, do meio físico e das expressões nas suas diferentes vertentes. Estas aprendizagens ocorrem através do envolvimento das crianças na gestão do espaço, das rotinas, dos instrumentos de trabalho, das tarefas e das regras que a vida em grupo tornam indispensáveis, condição única para que o exercício da cidadania e dos valores que ela envolve aconteçam.

As actividades desenvolvidas pelo 1º ciclo do Ensino Básico e as funções preenchidas por esta valência, devem contribuir para a formação de crianças responsáveis, intervenientes e críticas. Pretende-se, pois, uma escola na qual não basta adquirir conhecimentos, mas onde é também necessário saber usar o que se aprende, desenvolver o gosto por aprender e desenvolver a autonomia no processo de aprendizagem.


Deste modo, o trabalho com as crianças realiza-se de acordo com os programas definidos pelo Ministério da Educação nas diferentes áreas curriculares, através da sua participação na organização e desenvolvimento das tarefas de aprendizagem, da experimentação e da manipulação de materiais, tendo em vista a promoção de aprendizagens realmente significativas.

As Actividades de Tempos Livres, mais do que um mero complemento da escolaridade, devem, pelo seu carácter de educação informal, valorizar os aspectos lúdicos e culturais.

O trabalho desenvolvido com as crianças promove a apetência pelo conhecimento e fruição de bens culturais, através da realização de actividades que permitem o desenvolvimento de diferentes expressões e da realização de projectos que desenvolvem valores de respeito para consigo, pelo meio ambiente e pelo património local/nacional/universal.

O meio familiar de origem da criança, a sua cultura, a sua história pessoal, é o seu património. Deverão por isso ser considerados como factores educativos e, como tal, valorizados e assumidos.

Os estabelecimentos de infância privilegiam, na sua organização, o trabalho com as famílias, pois os pais são ainda, e por muito tempo, as pessoas mais importantes na vida da criança.




seara.com
© Santa Casa da Misericórdia de Cascais
Todos os direitos reservados